Domingo, 28 de Janeiro de 2007

1. Base bíblica do movimento celular

Os 11 capítulos seguintes foram traduzidos e adaptados do site da Igreja Elim pelo Pr. Antonio Francisco. É um excelente conteúdo para mostrar a visão básica de como funciona uma igreja em células. Boa leitura! A Igreja Cristã nasceu com 120 pessoas. No dia de Pentecoste houve 3.000 conversões, multiplicando assim 25 vezes sua membresia num só dia.

Como os apóstolos fizeram para batizar 250 pessoas num dia, cada um deles? Onde se reuniriam? Como discipular esse gente toda? Certamente eles distribuíram esses novos irmãos entre os 120, para que esses dessem seguimento ao discipulado.

Certamente cada um dos 120 levou um grupo de irmãos para seus lares e começaram a compartilhar do evangelho com eles.

A Igreja do Novo Testamento começou tendo dois tipos de reuniões. Reuniões nas casas e reuniões no templo (At 2.42).

O que a Bíblia quer dizer quando menciona que os cristãos se reuniam no templo? Refere-se ao templo judeu que não era um local próprio para receber as pessoas. Era um edifício relativamente pequeno, preparado para impedir o acesso das pessoas. Somente o sumo sacerdote podia entrar em sua parte mais interior uma vez por ano.

Os cristãos se reuniam no pátio do templo, não dentro do templo. Não havia outro local em Jerusalém que comportasse tantas pessoas. Por ser um local público, facilitava a pregação do evangelho.

Resumindo:
A Igreja do Novo Testamento tinha dois tipos de reuniões:

As celebrações que se realizavam em lugares públicos tinham uma multidão de cristãos.

As reuniões nas casas eram grupos pequenos que hoje chamamos células.

Por não ter um templo próprio para suas reuniões, a igreja do Novo Testamento acostumou-se desde o início a reunir-se nas casas (At 12.12; Rm 16.3-5; Cl 4.15; Fm 2).

A chave do crescimento da Igreja do Novo Testamento, é que sabia equilibrar suas reuniões grandes e pequenas, as celebrações e as células. Atualmente, as maiores igrejas do mundo são igrejas celulares e todas dão ênfase a ambas as reuniões.

No ano 312, com a institucionalização do cristianismo, a Igreja começou a perder seu equilíbrio entre a celebração e a célula. A Igreja deixou de reunir-se como comunidade de Cristo nas casas e começou a construir templos dedicados ao culto cristão. Esses locais se transformaram depois nas grandes catedrais. A Igreja perdeu sua ênfase no trabalho de todos os crentes, deixando-o somente para os “sacerdotes”, “líderes”, “pastores”.

Em 1517, Martinho Lutero liderou a Reforma, provocando uma transformação na teologia, porém, deixou intacta a estrutura da Igreja. Posteriormente os Anabatistas adicionaram à transformação teológica a transformação das estruturas na igreja.

Perseguidos por Católicos e Protestantes os Anabatistas voltaram a reunir-se em grupos pequenos. Mais tarde os Puritanos seguiram a tradição de reunir-se em grupos pequenos.

Em 1738, inspirado pelos Morávios, João Wesley começou a organizar seus “clubes santos”. Estes eram grupos pequenos onde os crentes se reuniam para orar, estudar a Bíblia e animar uns aos outros.
Para Wesley, converter-se e não participar de um grupo pequeno, não valia muito.

No fim de sua vida Wesley tinha conseguido abrir 10.000 células com uma participação média de 100.000 pessoas.

O movimento celular moderno

O pai do movimento celular moderno é o Pastor David Yonggi Cho, que iniciou sua igreja em 1958 em um bairro pobre de Seul, na Coréia do Sul.

Em 1960 havia alcançado seus primeiros 600 membros. Em 1964 sofreu um colapso devido a seu intenso trabalho. Como resultado de sua enfermidade que o colocou de cama por dois anos, descobriu que o modelo da Igreja do Novo Testamento havia sido o de pequenos grupos nas casas. Apoiando-se nas mulheres de sua congregação, iniciou com 20 células.

Em 1970 havia alcançado seus primeiros 1.800 membros. Em 1980, alcançou os 15.000. Em 1987, alcançou os 700.000 membros. Atualmente sua igreja continua crescendo e distribuindo seus novos membros entre 21 igrejas satélites.

A Igreja do Dr. David Yonggi Cho é em nossos dias a maior igreja do mundo e da história do cristianismo. (A Igreja Elim é hoje considerada a 2ª maior igreja celular do mundo, com 117.000 pessoas em 8.600 células. Observação do
Pr. Antonio Francisco).

Deus tem restaurado à sua Igreja o modelo do Novo Testamento. A combinação das reuniões de celebrações com as células não é uma idéia humana, mas sim o modelo que a Bíblia e a história demonstram que tem sido o sistema de Deus para o crescimento de sua igreja.
publicado por Antonio Francisco às 05:09
link do post | comentar | favorito
|

.Meu blog principal

Achologia

.pesquisar

.Tags

. adoração

. anfitriões

. aprovação

. bíblia

. célula

. células

. comunhão

. comunidade

. conflitos

. consolidação

. crescimento

. disciplina

. encontro

. forte

. fruto do espírito

. frutos

. grupo

. identidade

. inspiração

. líder

. todas as tags

.Arquivos

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Counter

Março - 2007
Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO